Vendas a prazo de carro têm leve reação

Leone Farias
Do Diário do Grande ABC

Embora ainda mais fracos do que em 2013, os números de financiamento de veículos mostraram sinais de melhora nos últimos dois meses, com alta de 15,7% nos contratos de compras  a prazo de automóveis e comerciais leves (picapes e utilitários esportivos) novos em setembro em relação a agosto. Os dados são da Cetip, empresa que opera o SNG (Sistema Nacional de Gravames), e reúne o cadastro das restrições financeiras de carros dados como garantia em operações de crédito. No entanto, ainda estão 2,3% abaixo frente a setembro de 2013.

Outro levantamento, da Anef (Associação Nacional das Financeiras das Montadoras), mostra que o total de recursos liberados para as compras financiadas de carros via CDC (Crédito Direto ao Consumidor) em agosto foi de R$ 9,3 bilhões, aumento de 2,3% em relação a julho, quando o montante registrado foi de R$ 9 bilhões. Na comparação anual até agosto, o volume concedido por CDC (R$ 72,3 bilhões) ainda representa queda de 0,4% em relação ao mesmo período anterior.

Dado que também ajuda a trazer algum ânimo para o segmento é a trajetória de queda da inadimplência. Durante os oito primeiros meses, os atrasos tiveram novo recuo, para 4,6%, contra 4,8% em julho. Há um ano, esse indicador estava em 5,8%.

Segundo o consultor automotivo Julian Semple, da Carcon Automotive, as vendas em outubro (até o dia 10) mostram que a trajetória de expansão das vendas continua. Foram vendidos 101 mil automóveis e comerciais leves, contra 96,3 mil nos primeiros dias de setembro, alicerçado em promoções das montadoras. A tendência, segundo ele, é que, com a entrada do 13º salário no fim do ano, os números sigam em ascensão, mas será difícil o setor empatar em resultados com 2013. “Teria de crescer 30% nos últimos dois meses, mas o índice de confiança do consumidor ainda está baixo”, salienta.



Close Menu
error: Content is protected !!
× Como posso te ajudar?